Será que o seu filho precisa de aparelho dentário?

aparelho dentário

A maior parte das pessoas associa o tratamento com aparelho dentário aos adolescentes e adultos. No entanto, o primeiro rastreio ortodôntico deve ser realizado durante a infância, para evitar problemas graves no futuro. Saiba quais os sinais que indicam que o seu filho pode precisar de tratamento ortodôntico.

Como saber se devo levar o meu filho ao ortodontista?

Existem alguns sinais de alerta, aos quais os pais devem prestar especial atenção. São eles:

  • falta de espaço para a correta acomodação dos dentes permanentes;
  • mordida profunda, mordida aberta ou mordida cruzada;
  • respiração bucal;
  • dentes tortos ou fora de posição;
  • diastemas (espaço entre os dentes, frequentemente observados nos dois dentes frontais superiores);
  • perda precoce ou retenção prolongada dos dentes de leite;
  • hábito de sucção do dedo ou chupeta;
  • dificuldade na mastigação;
  • articulações que emitem ruídos;
  • falta de proporção entre os maxilares.

Quando deve ser realizada a primeira consulta de ortodontia?

A idade recomendada para visitar o ortodontista pela primeira vez é por volta dos 7 anos. Isto porque é nesta fase que as crianças fazem a transição de dentes de leite pelos definitivos . Se a criança estiver a ser acompanhada por um odontopediatra, este pode identificar problemas mais cedo e alertar os pais para a necessidade de um consulta de ortodontia.

O objetivo da primeira consulta é o de  detectar precocemente problemas dentários ou dos maxilares, e avaliar a necessidade de intervenção precoce (ortodontia interceptiva).

De que forma a posição errada dos dentes influencia a saúde?

Para além de afetar a parte estética, o que conduz a uma baixa auto-estima e falta de confiança, a posição errada dos dentes também pode trazer outros problemas. Dentes tortos e/ou afastados podem provocar:

  • problemas na fala – a má posição dos dentes interfere na posição da língua e pode causar alterações de fonética;
  • doenças nas gengivas – é mais difícil escovar dentes desalinhados e/ou tortos, por isso, há uma maior propensão para a acumulação de resíduos alimentares e, consequentemente, de bactérias, que podem causar infeções nas gengivas e levar ao aparecimento de cáries dentárias e mau hálito;
  • dificuldade em mastigar – o que, por sua vez, pode levar a problemas de nutrição, uma vez que a criança evita certos alimentos nutritivos (como fruta, por exemplo), por serem duros ou difíceis de mastigar.
  • disfunções na articulação temporomandibular – devido à má posição dos dentes nas arcadas, pode verificar-se um mau funcionamento da articulação temporomandibular.

Existem ainda alguns estudos que relacionam a má oclusão (posicionamento errado da mordida e dos dentes) com a postura e o equilíbrio corporais.